Baiana de corpo e alma e paulistana por opção. Jornalista, corredora, mãe de dois, esposa, escritora e influenciadora digital. Ligada no 220v, mas amante da preguiça, do vinho, de uma boa cozinha e de Wi-Fi. Viajante de carteirinha: por terra ou por ar, correndo ou pedalando, com os filhos ou sem eles. Mulher, mãe e dona das próprias vontades.

15 Comentários

  1. Glauciana Monteiro Nunes
    @

    Nanna, querida.

    Encontrei esse post sem querer, pois vim aqui dar uma sapeada no seu blog para ver o texto da ação #100coisas. Que grata surpresa ao ler isso. Confesso que me arrepiei inteira, me emocionei e chorei lendo seu relato tão sincero.

    Quantas de nós não perdemos a estribeira? Quem de nós também não tem seus bloqueios e rejeições? Quem de nós não sucumbe ao cansaço na educação dos filhos?

    Eu também já me peguei inúmeras vezes na situação que você descreveu com Gabriel hoje. E também senti a mesma culpa e dor de cabeça.

    E que bom que a gente sempre tromba pelo caminho pessoas que podem nos ajudar a fazer da maternidade uma prática de mais amor.

    Estou extremamente emocionada por ter lido esse seu relato… e quem tem que lhe agradecer sou eu, por me permitir cumprir a minha missão, que é falar de uma maternidade mais cheia de amor para mais e mais mães por aí.

    Obrigada, obrigada, obrigada.

    Um grande beijo em você e em Gabriel 😉

    Reply

    • DICA DE MÃE
      @

      Glau, que bom ler esse seu comentário. ontem fiquei me sentindo péssima, mas ver que outras pessoas, assim como eu, erram tentando acertar, me mostrou que estou no caminho certo. E ontem pratiquei o meu primeiro abraço por conta de uma malcriação boba (ele simplesmente agor aque que eu tenha um carro com TV no banco de trás. só isso, rsrs). não gritei, não surtei. Só expliquei e deixei ele pensando. e a descupa veio espontaneamente, do nada. foi muiuto bom isso
      É muito importnate poder compartilhar não só os nossos acertos e coisas legais, mas também os problemas, as pirraças, as malcriações, as doenças… porque a gente consegue ver que em toda casa o processo é o mesmo! E que a gente está contribuindo para que nossos filhos cresçam pessoas melhores.
      obrigada e beijos. pra vc e pros dois lindos!!!

      Reply

  2. Daniele kramm
    @

    Que bom saber que outras mães, ou melhor, PESSOAS (diga-se: gente, humana, que falha e fica cheia de culpas) fazem o mesmo que eu algumas vezes, e se sentem tão mal em seguida…não sei se algum dia vou conseguir esse autocontrole (estou tentando), mas tenho certeza absoluta que o “deixar rolar” é sempre melhor que o grito! Sinta-se abraçada (às vezes precisamos mais que eles…) Bj

    Reply

    • DICA DE MÃE
      @

      a gente se cobra muito, né?!?! que fazer tudo perfeitinho, que ser a mãe, muler, amiga, poessoa perfeita! mas também temos nossos rompantes e crises. e que bom ver que existem mais pessoas assim! rsrs a culpa existe. Mas acho que a gente erra tentando acertar. E nada como reve ros conceitos e mudar, né?!
      obrigada pelo abraço!!! um grande e bem apertado pra vc tbm!!!!

      Reply

  3. Eliza
    @

    É verdade Diogo esta quase com 5 anos e eu ja vivi muito estes momentos, não só por causa de um desenho, mas por não querer tomar banho, arrumar os brinquedos ou até mesmo comer toda a comida. Já me peguei chorando por não saber lidar com tudo isso e também por culpa de ver meu pequeno grande homem aos soluços de tanto nervoso.
    Gente é só uma criança, o mundo já esta cheio de tantas coisas ruins e problemas que será inevitável fazer com que ele fique nervoso daqui as uns anos, vamos poupa-los enquanto ainda podemos. Por que não sentar e conversar ou até mesmo ouvir e respeitar seus momentos.
    Nanna adoro ler seus post´s.
    bj

    Reply

    • DICA DE MÃE
      @

      obrigada!!!!!
      vc está com um de 5 e em breve terá outra aprendendo as manhas e birras…. eu ainda estou tomando coragem pra isso. mas com certeza precisamos desacelerar e entender que eles sao APENAS crianças. vamos tentar deixá-los longe de amarguras e estresse, pelo menos por enquanto. é como vc disse, a vida adulta é muito mais complicada! beijos

      Reply

  4. mundodepalavras
    @

    Olá! Acompanho o blog Coisa de Mãe e por meio dele cheguei até aqui. E adorei! O seu post reflete bem a situação da maioria (ou todas?) as mães que passam por essa situação. A minha filha tem apenas 1 ano e 7 meses e já me desafia, faz pirraça e berra quando quer (ou não quer) algo. Acho q ela já percebeu que isso me deixa louca e perdida. Vc está certíssima em relação ao desejo de mudar a sua forma de agir. Quem sabe se mudarmos a nossa postura eles mudam a deles? Boa sorte aí! bjs Camila Vaz

    Reply

  5. Marisa Coimbra
    @

    Ahhh, eu adorei os comentarios sobre birras! Apesar de nao ser mãe, como babá isso me orienta a lidar com as birras da criançada q cuido com muito carinho. Mas é verdade qdo dizem q tem horas q da vontade de sair correndo, mediante a uma birra! E se impormos autoridade, logo vem o sentimento de culpa. Eu costumo olhar no olho da criança e tento explicar pq ela esta errada ou, pq ela esta agindo daquela forma. Claro, nem sempre consigo. Entao, se a birra continua, digo q nso estou de acordo e me afasto triste, para q a criança perceba meu descontentamento. Muitas vezes, a criança se arrepende e volta mais calma. Mas não é facil! Bjos.

    Reply

    • DICA DE MÃE
      @

      vc é mais várias vezes!!!! e isso deve ser super dificil. afinal a sua autoridade vai até certo ponto, não é mesmo?
      Gostei muito do seu comentário, Marisa, porque a gente esquece que a birra não é só com a mãe, mas com pessoas que estão por perto e que de alguma forma têm carinho pela criança (e vice-versa). Esses dia sa auxiliar da escola, que cuida do meu filho, veio cheia de dedos falar com a gente, pois teve se que dura e firme para ele colocar o casaco. e ele fazendo teimosia. Acho que nós, mães, temos de dar esse “alvará”, para as pessoa sque cuidam de nossos filhos poderem agir como agiríamos num caso como esse.
      isso é educar, não acha?
      beijos

      Reply

  6. Carolina Damasceno
    @

    Eu cheguei aqui por intermédio do blog da Glau… Como eu precisava ler sobre essas coisas… Minha filha tem 1 ano e 5 meses e está começando suas birras… E a mãe aqui perde as estribeiras e depois se arrepende… Depois de ler no mãe de duas, coisa de mãe e aqui quero começar a saber lidar com minhas frustrações e poder acalentar minha filha… Adorei..
    Você disse uma coisa que descreve algumas, se não todas, mães que gritam mais alto para mostrar autoridade… É bem isso mesmo…

    Beijocas
    Carol

    Reply

    • DICA DE MÃE
      @

      Carol, eu resolvi escrever esse post após ler o texto de Glau. Porque é isso, a gente se sente a pior pessoa do mundo, não é mesmo? Nossa meu coração fica em frangalhos quando brigo ou sou dura com meu filho. vem uma culpa do tamanho do mundo. Mas a gente tem que se impor. temos que dar limites e às vezes sermos duras mesmo. mas sempre com muito amor e carinho. Vamos precisar muito praticar a terapia da mãe-monge. ontem a minha solução foi entrar debaixo da água fria e chorar. Mas acho que vou melhorar… e saber me controlar, me acalmar, não gritar e reverter a situação.
      acompanhe o Dica de Mãe também. É sempre bom trocarmos experiência!
      beijos

      Reply

  7. A mãe possível, via Folha de S. Paulo « Dica de Mãe
    @

    […] do post da birra, da semana passada, no dia que eu me acabei de chorar? Me achando uma porcaria de mãe e me […]

    Reply

  8. Quem manda em casa? | Dica de Mãe
    @

    […] menos de birra e chantagem emocional. Já falei sobre como é difícil passar por isso no post “Não há show sem plateia”, em maio do ano passado. Birra é fogo. Muitas vezes a gente cede. Mas depois a conta vem. Li essa […]

    Reply

  9. Tire seu filho do papel de vítima - dicademae.com
    @

    […] Calma, não viro as costas e deixo o menino sofrendo. Apenas não me tranco no banheiro e choro copiosamente como há alguns anos, quando relatei o efeito da primeira frase dramática na minha vida de mãe (leia aqui). […]

    Reply

  10. O que fazer com a criança que grita? - dicademae.com
    @

    […] no colo e dê um abraço. Eu já falei aqui da terapia do abraço num post sobre birras para as birras e situações descontrole total. O abraço muitas vezes é […]

    Reply

Comente!