Baiana de corpo e alma e paulistana por opção. Jornalista, corredora, mãe de dois, esposa, escritora e influenciadora digital. Ligada no 220v, mas amante da preguiça, do vinho, de uma boa cozinha e de Wi-Fi. Viajante de carteirinha: por terra ou por ar, correndo ou pedalando, com os filhos ou sem eles. Mulher, mãe e dona das próprias vontades.

2 Comentários

  1. Mônica
    @

    exatamente… à medida que crescem as birras e manhas mudam de foco… cabe ao adulto fazer a criança entender o momento certo de cada atividade (quando a atividade é feita com entendimento, de ambas as partes) tudo ficam mais divertido. Hoje ser mãe é participar, entender e fazer crescer junto.

    Reply

  2. Jacqueline de Oliveira Sudário
    @

    Penso que o mais bacana de ser mãe é saber identificar cada fase da criança e buscar alternativas criativas para superar momentos difíceis.
    Em casa o momento do banho do meu filho Pedro Nicholas, de 1 ano e meio é uma delícia. Normalmente ele toma banho junto com o pai dele e eu o retiro do box, o enxugo e visto suas roupas. Já é uma rotina e, por enquanto, ele não reclama. Aliás, ele fica esperando para segurar o hidratante que eu sempre uso nesses dias frios. Aí é uma farra porque eu aproveito para fazer uma “massagem relaxante” nele. Nos divertimos muito nesses momentos, mas às vezes ele se rebela na hora de vestir a roupa, fica pulando na cama, faz birra… nessas horas, haja criatividade!!! Esses momentos de intimidade me aproxima cada vez mais do meu filho. E mesmo que eu esteja exausta do trabalho, essa é uma das melhores horas do meu dia.

    Reply

Comente!