Baiana de corpo e alma e paulistana por opção. Jornalista, corredora, mãe de dois, esposa, escritora e influenciadora digital. Ligada no 220v, mas amante da preguiça, do vinho, de uma boa cozinha e de Wi-Fi. Viajante de carteirinha: por terra ou por ar, correndo ou pedalando, com os filhos ou sem eles. Mulher, mãe e dona das próprias vontades.

5 Comentários

  1. ana paula de oliveira
    @

    Fui viajar com o João, que tem 1 mês e alguns dias, para Peruíbe, uma viagem de cerca de 3 horas; ele foi no bebê conforto, mas fui atrás com ele (meu marido foi de “motorista”). Meu principal medo é a cabeça dele, que fica meio bamba dentro do apoio. De resto, ele foi dormindo o tempo todo. Levei uma mamadeira em caso de emergência, já que não posso tirá-lo da cadeirinha para amamentá-lo no peito. Aliás, srá que pode dar mamadeira com o carro em movimento???

    Reply

  2. Rodrigo
    @

    Oi:

    Bem bom o texto!
    Viajar com criançar requer alguns cuidados/precauções…
    Lembro que quando era criança; nas viagens de carro – sempre perguntava QUANTO TEMPO FALTAVA PARA CHEGAR (típico de crianças isso!).
    E sobre às tais PARADAS: devem haver sim, inclusive para adultos! Para se ir ao banheiro, comer alguma coisa…

    Boas viagens,
    Rodrigo O Rosa

    Reply

  3. Joyce Meyre
    @

    Que experiência maravilhosa, foi viajar de carro para Rio Quente Goiais, tenho dois filhos um de 10 e outro de 7, eles amaram a viajem, uma viajem de 9 horas, ficaram encantados com a paisagem, com os bichos que encontramos pela estrada e claro com as paradas com os lanches diferentes, levamos jogos e cds que cada um escolheu…
    Eu recomendo…

    Reply

  4. giovana
    @

    Que erro na manchete deste anuncio! Hei terra!
    viagens de carros longas..nossa!!!
    que horror!

    correto: viagens longas de carros.

    eh imperdoavel este erro gramatical.

    Reply

  5. Gostei
    @

    Achei muito interessante o que foi exposto.

    Reply

Comente!